Voltar à página principal

Quintela 

                      
 

      

 

 

 

 

 

 

À freguesia de Quintela, há quem lhe chame também Quintela da Lapa, talvez porque aqui existe uma importante festa romeira à Senhora da Lapa, no mês de Junho, ou porque se situa numa espécie de planalto, na chamada serra da Lapa. Aqui nascem o Vouga e o Paiva, rios que já são referidos num documento de 1124.

    Na sua origem mais remota, o povoado de Quintela dependia de Cria Velha (na serra de Leomil), uma povoação romana documentada por inscrições aí encontradas do tempo dos imperadores Marco Aurélio e Antonino e que perdurou pela Idade Média como concelho.

 

    A freguesia adquiriu nomeada em toda a Beira, por um lado por aqui se ter fundado um celebrado santuário dedicado à Nossa Senhora da Lapa, o qual tinha um colégio anexo de muito frequência e prestígio.

 

    Com a extinção da Compnahia de Jesus, o colégio onde funcionou o noviciado até 1754, passou à posse da coroa. D. Maria I cedeu-o à mitra e a partir de então o seu percurso foi a  da decadência .

 

    O Santuário também construído sob orientação dos Jesuitas, era, segundo o Abade Moreira "grandioso, com escadaria cavada na rocha viva que alto arco sobrepuja". As informações documentais veiculam a lenda comum a muitos sítios antigos de culto, por regra ermos e bem enraizados na devoção dessas populações.

 

    A freguesia beneficiou da presença dos religiosos da Companhia, pois até aí era pouco mais que deserta (1576), sobretudo no que respeita à Lapa. Um século depois foi elevada à categoria de Vila, com pelourinho e cadeia.

Fonte do texto: CM Sernancelhe

 

 Voltar à página principal